Dia Internacional dos Monumentos e Sítios: Visita Guiada/Obra Aberta

1374807_746987775331747_5472927329369714619_n

O edifício da Porta Nobre passou por muito. Sobreviveu a cheias e a um incêndio que o deixou praticamente destruído. Agora é o momento de o devolver à vida. A operação de reabilitação terminou e, muito em breve, iniciará uma nova fase da sua existência, agora sob a forma de «1872 – River House», que será certamente uma das unidades hoteleiras de referência no Centro Histórico. Neste intervalo entre o final da obra e o início de actividade convidamos os portuenses (e não só) para uma visita orientada. Sejam bem-vindos!

INSCRIÇÕES (MÁX. 15 PESSOAS): PREENCHER FORMULÁRIO

Caixilharias

Caixilharia

aplicação de caixilharia

Caixilharia (interior)

Caixilharia (exterior)

As caixilharias são sempre um elemento sensível num processo de reabilitação. Se, por um lado, há um conjunto de requisitos técnicos que devem ser cumpridos quanto ao comportamento térmico-acústico que as caixilharias originais são incapazes de cumprir, por outro lado, existem as condicionantes de ordem estética e patrimonial que nos impedem de recorrer a soluções pré-formatadas. A solução é recorrer a uma carpintaria especializada, capaz de reproduzir o desenho original segundo as certificações necessárias para dar resposta às exigências de conforto actuais.

Pormenores

Com a conclusão da obra muito próxima, quase todos os dias surgem novidades para partilharmos.

Neste momento as caixilharias exteriores estão praticamente concluídas e no interior já se deu início à aplicação dos revestimentos finais. As instalações sanitárias começam a ganhar a sua “forma” final.

DSC_0648DSC_0653DSC_0650

A 29 dias do fim

A obra avança a todo o ritmo, nem poderia ser diferente,  porque estamos a menos de dois meses da abertura deste novo espaço na cidade do Porto. Estamos a concluir os interiores e todos os pormenores são importantes. No exterior concluem-se as aplicações das caixilharias de madeira assim como a aplicação dos vidros coloridos.

IMG_4848
IMG_4692Em cima é possível ver um pormenor da mesa de cabeceira que foi desenhada tendo em conta os azulejos que existiam no edifício.

IMG_4668Em cima a imagem de um dos quartos localizados no último piso.

IMG_4842E os vidros coloridos, apesar de toda esta chuva, são a alegria da obra. E daqui a 29 dias esperamos concluir mais um projeto, deixando mais um prédio no Centro Histórico do Porto reabilitado.

IMG_4852

Portadas

Para quem conhece os prédios antigos do Porto já está a imaginar as portadas de madeira que encerram os vãos exteriores. Normalmente estas são divididas em quatro folhas e recolhidas de forma a não obstruir espaço no interior. Infelizmente , dado o incêndio que este edifício sofreu, não tivemos a sorte de encontrar as portadas  em bom estado de conservação. Mas, uma vez que estamos em pleno centro histórico, a maneira mais correta de proteger o interior da luz ou dos olhares mais curiosos, é através da utilização de portadas em madeira.

Por isso, na última reunião de obra, analisou-se os pormenores das portadas interiores que serão executadas para substituir aquelas que um dia já lá estiveram.IMG_4622IMG_4621

Reabilitação da caixilharia do passadiço

Um dos aspectos arquitectónicos mais interessantes deste projeto é a existência de um passadiço que liga o edifício a uma cota mais alta e possibilita a entrada neste a partir do segundo piso. Para além do aspecto funcional inerente, o passadiço possui elementos decorativos que pretendemos preservar e por isso estamos a reabilitar. Um deles é a caixilharia de ferro que foi reabilitada e já se encontra na obra. Vejam o resultado final.

IMG_3835

Telhado

telhado telhado 2 DSC_1140 DSC_1142 DSC_1670 DSC_1676 DSC_1683 IMG_3322Nem sempre é recomendável a utilização de estrutura de madeira na cobertura, isto apesar de sermos fãs incondicionais deste material. Aqui, dada a existência de constrangimentos vários, optou-se pelo mais parecido, ou seja, uma estrutura metálica. Aproveitou-se a mesma estrutura, para redefinir os vãos instalados no telhado, em jeito trapeiras. Nesta fase, procedeu-se à montagem, à pintura de protecção e à aplicação de uma primeira pele, um aglomerado marítimo. Técnicas à parte, agora é possível admirar o Douro a partir daquela janela e ganhou-se um espaço essencial para a viabilidade do projecto.